Produção de celulose e papel e venda de painéis de madeira tem melhor desempenho da década

O ano de 2021 demonstrou que a indústria de base florestal está pronta para atender às demandas dos consumidores por seus bioprodutos. O setor ultrapassou suas marcas históricas para abastecer a sociedade com itens como embalagens de papel, papel higiênico, fraldas, cadernos e painéis de madeira para móveis. 

De acordo com o Boletim Cenários Ibá, produzido pela Indústria Brasileira de Árvores (Ibá), a celulose atingiu sua maior produção em 2021, com 22,5 milhões de toneladas; a fabricação de papel registrou sua maior alta em um ano, com 10,7 milhões de toneladas; a venda doméstica de painéis de madeira chegou ao seu nível mais elevado na série histórica, com 8,2 milhões de m³ negociados dentro do país. 

“Com começo do retorno ao trabalho presencial, por meio de modelo híbrido, e as escolas iniciando a volta às aulas fisicamente, foi possível sentir também o crescimento na demanda por produtos do setor de árvores cultivadas que são sustentáveis, renováveis e recicláveis”, afirmou Paulo Hartung, presidente da Ibá. “Além do cuidado com a natureza, seja na reciclagem, na produção e no manejo sustentável nas áreas de cultivo, que intercalam áreas produtivas com grandes áreas de conservação, as empresas de base florestal investem constantemente em pessoas, tecnologia e ciência. São fatores fundamentais para que a indústria de base florestal atenda aos consumidores e cuide do meio ambiente. Um dos modelos que iluminam o caminho da nova economia verde”, completa o executivo. 

Com este cenário, o valor total das exportações do setor em 2021 somou US$ 9,0 bilhões, um avanço de 12,1% em relação a 2020. A celulose totalizou US$6,7 bilhões deste montante (+12,4%), enquanto papel chegou a US$1,9 bilhão (+9,0%) e painéis de madeira US$347 milhões (+25,7%). 

Durante o ano, a China foi o principal destino das exportações de celulose produzida no Brasil, chegando a US$2,8 bilhões negociados. Já o papel tem como principal destino a América Latina, com comercialização que somou US$1,2 bilhão. A região também é o mercado externo que mais adquiriu painéis de madeira. Em 2021 foram US$ 198 milhões negociados.

Confira a seguir os indicadores de desempenho do setor de árvores plantadas durante o ano de 2021, na 68ª edição do Cenários Ibá, boletim Indústria Brasileira de Árvores.
68ª edição do Cenários Ibá
PRODUÇÃO
A produção de celulose bateu recorde em 2021 com 22,5 milhões de toneladas produzidas, avanço de 7,4%, em relação a 2020. Papel também atingiu nível histórico mais alto com 10,7 milhões de toneladas produzidas (+4,2%). Imprimir&escrever totalizou 2,3 milhões de toneladas (+11,7%) e embalagens 5,7 milhões de toneladas (+3,9%). Carvão vegetal encerrou o ano com 3,6 milhões de toneladas produzidas, avanço de 9,4% quando comparado ao período anterior. 
VENDAS DOMÉSTICAS
As vendas de painéis de madeira no Brasil em 2021 também chegaram a um nível recorde, somando 8,2 milhões de m³, um avanço de 15,0% em relação ao ano anterior. Já o volume de vendas domésticas de papel foi de 5,6 milhões de toneladas, o que significa crescimento de 6,3%.
EXPORTAÇÕES EM VOLUME
As exportações de celulose em 2021 somaram 15,7 milhões de toneladas, crescimento de 0,4%. O papel totalizou 2,1 milhões de toneladas comercializadas com outros países no mesmo período (-1,4%). 
SOBRE A IBÁ

A Indústria Brasileira de Árvores (Ibá) é a associação responsável pela representação institucional da cadeia produtiva de árvores plantadas, do campo à indústria, junto a seus principais públicos de interesse. Lançada em abril de 2014, representa 49 empresas e nove entidades estaduais de produtos originários do cultivo de árvores plantadas – painéis de madeira, pisos laminados, celulose, papel, florestas energéticas e biomassa -, além dos produtores independentes de árvores plantadas e investidores institucionais. Saiba mais em www.iba.org

Fonte: IBÁ

+55 67 99227-8719
contato@maisfloresta.com.br

Copyright 2021 Mais Floresta ©  Todos os direitos Reservados