Serviço Florestal americano planeja promover reflorestamento de 1,65 milhão de hectares

Para ajudar a revitalizar milhões de hectares de florestas queimadas e danificadas em todo o oeste americano, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos pretende plantar mais de um bilhão de árvores ao longo da próxima década. Incêndios florestais e outros problemas devastaram as florestas dos EUA nos últimos anos, mas o país reflorestou apenas 6% das terras danificadas pelas chamas e outros eventos climáticos extremos, o que criou um déficit de cerca de 1,65 milhão de acres, explica a Smithsonian Magazine.

Para isso, o órgão federal precisará contratar mais pessoas, buscar e coletar mais sementes e ampliar sua capacidade para produzir quatro vezes mais mudas. “As florestas são uma ferramenta poderosa na luta contra as mudanças climáticas”, diz Tom Vilsack, secretário de agricultura dos EUA, em comunicado anunciando a iniciativa nesta semana. “Cultivar sua regeneração natural e plantar em áreas com maior necessidade é fundamental para mitigar os piores efeitos das mudanças climáticas e, ao mesmo tempo, tornar essas florestas mais resilientes às ameaças que enfrentam.”

O governo federal norte-americano está focado em replantar árvores em terras públicas porque as florestas filtram e armazenam água, sequestram carbono, fornecem alimentos e madeira às comunidades indígenas e contribuem com mais de US$ 11 bilhões para a economia por meio de recreação ao ar livre, turismo, entre outros benefícios. Sem árvores, áreas destruídas por incêndios florestais também são mais suscetíveis a outros problemas potencialmente desastrosos, como deslizamentos de terra e inundações.

O Serviço Florestal dos EUA promete aumentar gradualmente seus esforços de reflorestamento. No ano passado, os funcionários replantaram cerca de 24 mil hectares de árvores. Nos próximos anos, esse número aumentará para cerca de 161 mil hectares por ano, diz o órgão. Os gastos também aumentarão, de cerca de US$ 100 milhões gastos em reflorestamento este ano para até US$ 260 milhões.

“Alcançar essa visão de cultivar e nutrir florestas resilientes para o amanhã requer ação hoje”, aponta o plano estratégico de reflorestamento do Serviço Florestal.

Os incêndios florestais são o principal fator de destruição das florestas. Até o final de julho, os incêndios já queimaram 2,2 milhões de hectares nos EUA este ano – o dobro do mesmo período de 2021 e três vezes mais que 2020. Pesquisadores alertam que as mudanças climáticas aumentarão ainda mais a intensidade e a frequência dos incêndios florestais.

Fonte: Um Só Planeta

+55 67 99227-8719
contato@maisfloresta.com.br

Copyright 2021 Mais Floresta ©  Todos os direitos Reservados