Um trabalho de mais de 20 anos de melhoramento genético, realizado por pesquisadores da Embrapa Cerrados (DF), resultou na seleção de 14 clones de seringueira adaptados ao Centro-Oeste do Brasil. A produtividade deles é 26% superior à média das espécies mais plantadas na região. Foi a partir de 70 tipos vindos da Malásia, em 1995, que a pesquisa se desenvolveu e se chegou a um tipo de seringueira adaptada a áreas com de período seco bem definido. Um dos locais do experimento foi o campo da Embrapa Cerrados, em Planaltina (DF).

Redução de pragas

Além da elevada produtividade, que permitirá o aumento da produção nacional e a redução da dependência das importações, os novos materiais fornecem um produto de boa qualidade e vão prover maior diversidade genética aos seringais. Esta é uma importante estratégia para reduzir os riscos de ataques de pragas e doenças. As primeiras mudas enxertadas devem estar prontas para venda a partir de 2022.

Maiores produtores

Por causa de pragas, a heveicultura brasileira se deslocou do Norte para as regiões Sudeste e Centro-Oeste. Além de serem áreas de escape de doenças, são hoje as principais regiões produtoras de borracha do país. Goiás, São Paulo e Minas Gerais estão entre elas. A seringueira é a principal fonte de látex e borracha do planeta. E o melhoramento genético é a melhor maneira de aumentar a produtividade e a receita dos agricultores sem alterar os custos.

Fonte: Correio Braziliense

+55 67 99227-8719
contato@maisfloresta.com.br

Copyright 2021 Mais Floresta ©  Todos os direitos Reservados