LINDA_1 - foto Paulo Cardoso (19)

Minuta do Plano Estadual de Desenvolvimento e Qualificação do Setor de Florestas Plantadas é aprovada no RS

Por unanimidade, a Câmara Setorial de Florestas Plantadas aprovou, em reunião extraordinária realizada nesta quinta-feira (23/6), a minuta do Plano Estadual de Desenvolvimento e Qualificação do Setor de Florestas Plantadas (Qualisilvi-RS). O documento foi construído de forma coletiva pelas entidades que compõem a câmara, sob coordenação da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

O Qualisilvi-RS traça um panorama sobre o Setor de Base Florestal no Rio Grande do Sul, suas potencialidades e os gargalos a serem superados. Entre os principais objetivos para o plano estão: o fortalecimento das instituições; criação do Sistema Estadual de Informações Florestais; qualificação dos silvicultores; atração de investimentos ao setor; garantia de segurança jurídica para a atividade; fomento à pesquisa, desenvolvimento e inovação; estímulo à demanda por produtos florestais; e expansão da área plantada.

“Os produtos das florestas plantadas são uma necessidade básica da sociedade, e a demanda tende a aumentar. Precisamos de qualificação para seguir crescendo de acordo com as novas bases do desenvolvimento sustentável. Há muito espaço físico, tecnologia e conhecimento humano no Rio Grande do Sul para garantir a qualificação e expansão sustentável do setor de florestas plantadas”, avalia o professor da UFSM Rafaelo Balbinot, que apresentou a minuta do plano estadual, elaborado em alinhamento com as diretrizes do Plano Nacional de Desenvolvimento de Florestas Plantadas (PlantarFlorestas).

O texto aprovado pela câmara setorial será incluído no processo eletrônico que já tramita internamente na Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) para a criação do plano estadual.

Condicionantes de licenciamento ambiental

Em 2019, a câmara setorial e a Associação Gaúcha de Empresas Florestais (Ageflor) encaminharam ofícios à Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) solicitando a abertura de espaço para diálogo e debates sobre condicionantes ao licenciamento ambiental da silvicultura. Conforme o engenheiro florestal Cristiano Horbach Prass, da Fepam, técnicos da autarquia discutiram internamente os pontos abordados pelos ofícios e elaboraram uma minuta de resposta, que está no gabinete da entidade para ser enviada aos solicitantes. “Algumas demandas serão atendidas e outras foram justificado o motivo de não atendimento”, informou.

Participaram da reunião representantes das seguintes entidades: Associação Gaúcha de Florestadores (Agaflor), Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra), Emater/RS-Ascar, Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), Fepam, Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetag/RS), Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs) e UFSM.

Texto: Elaine Pinto/Ascom Seapdr
Fonte: Secom

bracell

Bracell abre inscrições para Programa de Trainee 2022

Maior produtora de celulose solúvel do mundo, companhia busca desenvolver novos talentos em diversas áreas de atuação

A Bracell, líder global na produção de celulose solúvel, acaba de abrir as inscrições para o seu Programa de Trainee 2022. A empresa busca atrair novos talentos para atuarem em seus processos e operações industriais, florestais, logísticas e administrativas. Ao todo, são 30 vagas disponíveis para aqueles que tenham concluído a graduação entre 2020 e 2022. As inscrições para o processo seletivo podem ser feitas até 18 de julho no link: https://bit.ly/bracell-trainees-2022.

Para Simone Albuquerque, Diretora de Recursos Humanos da Bracell, o programa busca atrair jovens profissionais que querem ser protagonistas de suas carreiras para contribuírem com os desafios da companhia que permanece em franca expansão. “Os jovens trazem o frescor de novas ideias, novos conhecimentos e, somados aos profissionais mais experientes, formam time robusto que contribui para a diversidade das equipes. Essa é uma das formas da Bracell buscar sua evolução contínua, visando atender às demandas do mercado e ofertar soluções cada vez melhores” diz.

Para Marcela Fagundes Pereira, Gerente de Recrutamento da Bracell, essa é uma chance para que os futuros profissionais se desenvolvam com a companhia, trazendo novas perspectivas e vivências alinhadas com os pilares de Pessoas e Cultura. “Por um período de um ano e meio, os trainees selecionados terão acompanhamento com as lideranças e oportunidade de participarem de diversos projetos. Além disso, temos o intuito de acelerar suas trajetórias profissionais, ampliando suas habilidades”, explica

Rebeca Beck, atual Engenheira de Processos e Produção, participou do Programa Trainee Bracell em 2021, e comemora sua trajetória na empresa. “Foi uma grande conquista ter sido selecionada entre os mais de 7,7 mil candidatos inscritos. Durante esse primeiro ano de atuação, tive diversas oportunidades de aprendizado e desenvolvimento profissional. Estou feliz em fazer parte da maior e mais verde fábrica de celulose solúvel do mundo, ao lado de excelentes profissionais”, ressalta.

Também participante do programa em 2021, Natan Barbosa Rodrigues, que no momento atua como Engenheiro de Processos Florestais, enfatiza: “A empresa realmente capacita os trainees para assumirem projetos e cargos de liderança ao longo do tempo. A companhia proporciona workshops, treinamentos, mentorias e tudo o que for necessário para nos empoderarmos e organizarmos ações e planejamentos que trazem inovação para empresa, agregando conhecimento”.

A Bracell busca pessoas com brilho nos olhos, apaixonadas pelo que fazem, com espírito empreendedor, engajadas em sustentabilidade e excelência operacional. Durante o processo seletivo, é indicado que os candidatos demonstrem conhecimento sobre a empresa e da área em que pretende atuar. Além disso, também é importante atrelar experiências às habilidades, ou seja, mostrar como o aprendizado adquirido em estágios e faculdade podem contribuir com o crescimento da companhia.

A sustentabilidade faz parte de todos os processos de produção na Bracell, que a partir do cultivo de florestas plantadas de eucalipto e tecnologia industrial de ponta, reforça esse pilar por meio da prática da economia circular, além de acreditar na criação de valor compartilhado com as comunidades e na construção de parcerias duradouras. “Somos a maior e mais sustentável empresa do mundo na produção de celulose solúvel, e mais do que atrair e desenvolver talentos, queremos ser provedores de conhecimento e capacitação”, finaliza Marcela.

Os trainees selecionados contarão com um plano desenvolvido para aprimorar suas habilidades e serão preparados para assumir posições estratégicas na companhia. Além disso, terão a seu dispor uma lista de benefícios como o Programa de Participação nos Resultados (PPR), seguro de vida, vale alimentação, plano médico, plano odontológico, plano de Previdência Privada, entre outros.

Requisitos para participar do programa:

  • Ter concluído a graduação entre junho de 2020 e junho de 2022 (não aplicável para tecnólogos);
  • Inglês avançado;
  • Mobilidade e disponibilidade para viajar;
  • Formação em Engenharia Química, Engenharia Florestal, Engenharia Mecânica/Eletromecânica, Engenharia de Produção, Engenharia Elétrica, Engenharia de Automação, Administração de Empresas/Planejamento, Economia, Ciências Contábeis, e Química;
  • Efetuar a inscrição entre 22/06 a 18/07 pelo site: https://bit.ly/bracell-trainees-2022.

Sobre as vagas

As vagas são para atuação nas operações da Bracell em São Paulo, na Bahia e no Mato Grosso do Sul. No total, estão sendo disponibilizadas 30 vagas, distribuídas da seguinte forma:

  • São Paulo – 15 vagas
  • Locais de trabalho: Lençóis Paulista; Santos.
  • Bahia – 12 vagas
  • Locais de trabalho: Camaçari; Alagoinhas; Entre Rios; Inhambupe.
  • Mato Grosso do Sul – 03 vagas
  • Local de trabalho: Campo Grande.

Sobre a Bracell
A Bracell é uma das maiores produtoras de celulose solúvel e celulose especial do mundo, com duas principais operações no Brasil, sendo uma em Camaçari, na Bahia, e outra em Lençóis Paulista, em São Paulo. Além de suas operações no Brasil, a Bracell possui um escritório administrativo em Cingapura e escritórios de vendas na Ásia, Europa e Estados Unidos. www.bracell.com

Sobre a RGE
A RGE Pte Ltd gerencia um grupo de empresas com operações globais de manufatura baseadas em recursos naturais. As atividades vão desde o desenvolvimento e a colheita de recursos sustentáveis, até a criação de diversos produtos com valor agregado para o mercado global. O compromisso do grupo RGE com o desenvolvimento sustentável é a base de suas operações. Todos os esforços estão voltados para o que é bom para a comunidade, bom para o país, bom para o clima, bom para o cliente e bom para a empresa. A RGE foi fundada em 1973 e seus ativos atualmente ultrapassam US$ 25 bilhões. Com mais de 60.000 funcionários, o grupo tem operações na Indonésia, China, Brasil, Espanha e Canadá, e continua expandido para envolver novos mercados e comunidades. www.rgei.com

Fonte: Bracell

Environmental,Protection,,Renewable,,Sustainable,Energy,Sources.,Plant,Growing,In,The

BASF conquista certificação I-REC de energia renovável

Iniciativa reforça comprometimento da companhia na redução das emissões de carbono e fortalece sua estratégia ESG

As mudanças climáticas são o maior desafio do nosso tempo. Para reverter essa situação, é indispensável a contribuição da sociedade civil na adoção de medidas que ajudem a mitigar esses efeitos no planeta. Diante desse cenário, e ciente de seu compromisso para com os princípios do ESG (sigla em inglês para Social, Ambiental e Governança), a BASF, cada vez mais, vem trabalhando em diversas frentes com foco na sustentabilidade, de processos produtivos a criação de soluções e produtos que desempenham papel crucial na redução das emissões. Frente a isso, a companhia dá mais um passo em direção à sustentabilidade e obtém um dos mais importantes certificados globais sobre matriz de energia renovável: I-REC.
 

Emitido no Brasil pelo Instituto Totum, o International Renewable Energy Certificate (I-REC), é uma plataforma internacional que possibilita a transação de certificados de utilização de energia renovável, sistema por meio do rastreamento de características ambientais relacionadas a energia. No Brasil, seis das oito unidades produtivas da BASF já possuem essa acreditação, além do site de Concón, no Chile. As unidades fabris passam a ter o selo de consumo de energia renovável em seus processos, incentivando a produção de energia elétrica na região com menor emissão de CO₂. As demais operações no Brasil e na Argentina seguem o mesmo caminho para obtenção dessa importante certificação.
 

“A obtenção do certificado I-REC, por meio de uma das ações da iniciativa da empresa que busca o alinhamento da América do Sul com as metas globais de emissão chamada Energy Transformation, assegura que estamos consumindo energia renovável para continuar crescendo em linha com nosso comprometimento em direção à neutralidade climática”, afirma Vera Felbermayer, Vice-presidente de Gestão de Sites, Operações e Suporte Digital para a BASF América do Sul.
 

Em 2021, as energias renováveis representaram 16% da demanda mundial de energia da BASF. Até 2030, a empresa estima que 100% de sua demanda global de energia será obtida a partir de fontes renováveis e tem como meta reduzir suas emissões de gases do efeito estufa em 25% em comparação a 2018, mantendo sua outra meta de emissões líquidas de CO2 zero, globalmente, até 2050.
 

Para vivenciar na prática seu propósito de criar química para um futuro sustentável, a companhia se desafia diariamente para estabelecer e perseguir grandes e desafiadoras metas globais em toda a cadeia de valor. Frente a isso, 40% do investimento anual global da BASF em pesquisa e desenvolvimento é direcionado para evitar e reduzir emissões de gases de efeito estufa, melhorar a eficiência energética e de recursos e otimizar processos.
 

Entre as diversas iniciativas internas implementadas pela BASF na América do Sul para promover a eficiência energética está o programa Triple E (Excellence in Energy Efficiency), cujo objetivo é melhorar os níveis de consumo energéticos e de sustentabilidade, além de aumentar a competitividade da companhia. Essa iniciativa interna levou a empresa a ser a primeira indústria química certificada pela ISO 50.001 de Eficiência Energética no Brasil e a primeira grande indústria química do Chile.
 

“Já está em nosso DNA o foco em consumo consciente de energia. Sob o Triple E, foram mais de 450 oportunidades de melhoria identificadas resultando num expressivo aumento de eficiência energética; agora com o certificado I-REC, reforçamos nosso compromisso ambiental e asseguramos que o consumo de energia para os demais sites na América do Sul seja oriundo de fontes 100% renováveis”, reforça Patrick Silva, diretor industrial do Complexo Químico de Guaratinguetá & Infraestrutura para a BASF América do Sul.
 

Sobre a BASF

Na BASF, criamos química para um futuro sustentável. Combinamos sucesso econômico com proteção ambiental e responsabilidade social. Mais de 111.000 colaboradores do Grupo BASF contribuem para o sucesso de nossos clientes em quase todos os setores e em quase todos os países do mundo. Nosso portfólio está organizado em seis segmentos: Químicos, Materiais, Soluções Industriais, Tecnologias de Superfície, Nutrição e Cuidados e Soluções Agrícolas. A BASF gerou vendas de € 78,6 bilhões em 2021. As ações da BASF estão listadas na Bolsa de Valores de Frankfurt (BAS) e como American Depositary Receipts (BASFY) nos Estados Unidos. Mais informações no site.

Fonte: BASF

embalagem de papel

Segunda edição do webinar “Embalagem de Papel, a escolha natural” traz palestrantes do Brasil e da Europa

Evento trará inovações sustentáveis e tecnológicas presentes no produto fundamental para o dia a dia da sociedade

No próximo dia 30 de junho, a partir das 9h30, será realizada a segunda edição do webinar “Embalagem de papel, a escolha natural”, organizada conjuntamente por Empapel, Ibá e Two Sides. Sob o tema “ampliando os usos da embalagem de papel”, os palestrantes, do Brasil e da Europa, comentarão sobre a sustentabilidade e tecnologia presentes na cadeia e neste produto essencial para a sociedade.

Neste ano, estão confirmados os painéis de Susanne Haase, alemã, diretora da Aliança 4evergreen, que contará ao público a experiência da iniciativa europeia que reúne companhias fabricantes de embalagem de papel para troca de experiências e cooperação, de olho em avançar  nas melhores práticas para o ciclo de vida do produto. Alexandre de Lima, gerente de sustentabilidade do iFood, contará sobre o caminho trilhado pela empresa em que o papel se mostra como uma das estratégias sustentáveis. Erich Schaitza, chefe-geral da Embrapa Florestas abordará o avanço da nanotecnologia para aumentar a reciclabilidade e biodegradabilidade das embalagens de papel.

“As embalagens de papel demonstraram sua importância para a sociedade durante a pandemia, tornando possível que as pessoas recebessem alimentação, medicamentos, entre outros itens, durante o isolamento social. Mas além disso, o produto é ambientalmente amigável e vem de um setor que é inquieto e investe constantemente em ciência e tecnologia para prover soluções responsáveis para os brasileiros e para o mundo. Por isso, um evento como esse ganha importância, à medida que conversa diretamente com o público, demonstrando benefícios e possibilidades das embalagens de papel”, afirma o Embaixador José Carlos da Fonseca Jr., diretor executivo da Ibá.

O evento, que será transmitido via plataforma zoom, contará com tradução simultânea para o inglês e espanhol, uma vez que são esperados decisores de compras, designers, professores, estudantes e público geral de toda a América Latina. Na edição de 2021 foram mais de 400 participantes que acompanharam o debate ao vivo.

As inscrições podem ser realizadas aqui: https://www.apseventos.com.br/embalagem-papel/inscrevase

“Para a Empapel é muito importante iniciativas com a segunda edição da webinar Embalagem de Papel, a escolha natural. Dessa maneira, realizamos nosso objetivo de trabalhar para aumentar o protagonismo das embalagens de papel e papelão ondulado como soluções sustentáveis”, comenta Eduardo Brasil, diretor-executivo da Empapel.

A mediação ficará por conta de Sônia Araripe, jornalista especializada em ESG/Sustentabilidade, atualmente editora da revista Plurale.

“Precisamos buscar formas mais sustentáveis de produzir, transportar, consumir, dispor.  Por isso Two Sides – iniciativa global que está presente em cinco continentes – busca promover produtos de fontes renováveis que sejam recicláveis e biodegradáveis, como são o papel, o cartão e o papelão.  4evergreen, em cujo conselho Two Sides agora tem assento, é um importante projeto europeu na busca da circularidade das embalagens.  Novas tecnologias suportam desenvolvimentos como esses, como vai mostrar o chefe da Embrapa Florestas. Importantes consumidores de embalagens estão atentos a esses movimentos, como vai expor o gerente de sustentabilidade do iFood. Esse será um evento imperdível para quem deseja embalagens mais sustentáveis”, completa Fabio Mortara, presidente de Two Sides Brasil.

Cada um dos patrocinadores terá dez minutos para apresentar seus cases aos expectadores. Para esta edição, Ibema, Klabin, Papirus e WestRock contarão sobre sua atuação sustentável e soluções inovadoras.

O evento ainda contará com uma rede importante de apoiadores como: ABAF, ABHIPEC, ABIEA, ABIGRAF, ABRO, ABTCP, ACOTEPAC, AFCP, AGUDI, AIGP, ALADI, ANAP, ANDIGRAF, ANDIPA, APS, ASIMPRES, ASOINGRAF, CONLATINGRAF, EL PAPEL, EMBALAGEM E MARCA, EMBANEWS, FSC, LA PRENSA, PROPMARK, PEFC-Chile, SINPACEL, SINPAPEL, SINPASUL e SINPESC.

Serviço

Webinar “Embalagem de papel, a escolha Natural – Ampliando os usos da embalagem de papel”

Quando: 30/06

Horário: das 09h30 às 11h30

Onde: Via plataforma Zoom

Inscriçãohttps://www.apseventos.com.br/embalagem-papel/inscrevase

Sobre a Empapel

A Empapel, Associação Brasileira de Embalagens em Papel, surge no lugar da Associação Brasileira do Papelão Ondulado (ABPO) – que desde 1974 representou o segmento. A entidade tem como missão ser reconhecida como uma associação que transforma o diferencial ambiental das embalagens de papel.

A Empapel quer promover uma ampliação de mercado e de oportunidades de negócios para os seus associados, além de alcançar protagonismo em soluções para embalagem. A ideia é trabalhar todo o potencial do insumo em um cenário em que os consumidores estão cada vez comprometidos com a economia circular — conceito que promove novas maneiras de produzir e consumir, que gerem recursos à longo prazo.

Há muito trabalho pela frente, como ponto de partida, a entidade acompanha o setor de perto, com boletins analíticos produzidos pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Com este trabalho é possível identificar as necessidades do mercado, além de diferentes oportunidades de investimentos e negócios.

Sobre a Ibá

A Indústria Brasileira de Árvores (Ibá) é a associação responsável pela representação institucional da cadeia produtiva de árvores plantadas, do campo à indústria, junto a seus principais públicos de interesse. Lançada em abril de 2014, representa 48 empresas e 10 entidades estaduais de produtos originários do cultivo de árvores plantadas – painéis de madeira, pisos laminados, celulose, papel, florestas energéticas e biomassa -, além dos produtores independentes de árvores plantadas e investidores institucionais.

Sobre Two Sides

Organização global, sem fins lucrativos, criada na Europa em 2008 por membros das indústrias de base florestal, celulose, papel, cartão e comunicação impressa. Two Sides, a mais importante iniciativa do setor, promove a produção e o uso conscientes do papel, da impressão e das embalagens de papel, bem como esclarece equívocos comuns sobre os impactos ambientais da utilização desses recursos. Papel, papelcartão e papelão são provenientes de florestas cultivadas e gerenciadas de forma sustentável. Além disso, são recicláveis e biodegradáveis.

Fonte: IBÁ

Governador-anuncia-instalação-de-fábrica-de-celulose-da-Arauco-Chico-Ribeiro-2-730x426

Arauco vai investir R$ 15 bilhões para construir a quinta fábrica de celulose de MS

Com quase 1,2 milhão de hectares de florestas plantadas, Mato Grosso do Sul vai receber a sua quinta planta de celulose e outros produtos de base de madeira. Hoje (22) uma das principais empresas madeireiras da América Latina, a Arauco anunciou a instalação de uma nova fábrica no município de Inocência. O grupo chileno já possui áreas de eucalipto plantadas no município para suprir a demanda do projeto. O investimento estimado é de R$ 15 bilhões, beneficiando 14.300 famílias com geração de 12 mil empregos no pico da construção e 250 empregos diretos e 300 indiretos quando entrar em operação, além de 1,8 mil empregos permanentes na parte florestal.

O anúncio foi feito hoje pelo governador do Estado, Reinaldo Azambuja junto com a diretoria do grupo chileno durante evento de lançamento oficial do Plano Estadual de Florestas Plantadas (Profloresta) da Secretária de Estado da Produção, Meio Ambiente Desenvolvimento Econômico e Agricultura Familiar (Semagro).

Para o governador Reinaldo Azambuja este é mais um compromisso firmado e cumprido com o desenvolvimento econômico de Mato Grosso do Sul. “Vamos receber no Estado uma das maiores fábricas de celulose do mundo. Será uma unidade moderna, que vai gerar empregos, oportunidades, renda e desenvolvimento social em uma região que também integra a Costa Leste Florestal, mas que não tinha nenhum empreendimento deste tipo.  A vinda desta fábrica mostra a confiança dos investidores em Mato Grosso do Sul, na nossa política de incentivos fiscais, na segurança jurídica de quem investe e na estrutura logística que estamos criando para quem precisa escoar a produção”, disse Reinaldo Azambuja.

O secretário Jaime Verruck (Semagro) destacou a transformação provocada pela vinda de gigantes do setor da celulose. “O grande desafio do Estado é a logística. Esta indústria que está sendo instalada em Ribas do Rio Pardo (Suzano) e a que estamos anunciando hoje, elas geram a capacidade para que Mato Grosso do Sul mantenha seu ritmo de crescimento nos próximos 4 a 5 anos a taxas superiores a 5%. É um trabalho em conjunto com o setor privado, que acredita no Estado, pelo ambiente criado. Nosso compromisso agora é fazer a capacitação da mão de obra”.

E o CEO da companhia, Matias Domeyko Cassel, falou sobre a escolha de Mato Grosso do Sul. “O Brasil é um polo importante para a estratégia global do Grupo Arauco. Atuamos no País desde 2002, com as divisões de madeira e operação florestal, e agora estamos avaliando aumentar os investimentos realizados no Brasil, trazendo o setor de celulose para cá. Estamos muito animados com esta possível grande ampliação das atividades da Arauco ao Mato Grosso do Sul, uma região muito importante para a indústria, com grande potencial para o plantio de eucaliptos e excelentes opções logísticas para o escoamento da produção, além de agregar muitos benefícios econômicos e sociais para a região, e com uma, produção de energia limpa e crédito de carbono positivo”, ressaltou. 

Reinaldo Azambuja cumprimenta CEO da Arauco; novo empreendimento vai garantir emprego e renda para 14.300 famílias

Já o prefeito de Inocência, Toninho da Cofapi, afirmou que o empreendimento vai levar “o desenvolvimento tão sonhado por tantas gerações do Município”. “Quero agradecer à diretoria da Arauco, estão confiando em Mato Grosso do Sul e em Inocência, uma cidade pequenininha, a quem eu chamo A Princesinha da Costa Leste. E a nossa princesinha, em pouco tempo, será a Rainha da Costa Leste”, declarou.

A empresa

Celulosa Arauco y Constitución é uma empresa chilena do ramo madeireiro, especializada na fabricação de celulose e painéis, atuando no Chile, Argentina e Brasil. A empresa pertence ao Grupo AntarChile fundado por Anacleto Angelini e possui cinco fábricas de celulose no Chile e uma na Argentina, além de quatro fábricas para a fabricação de madeira reconstituída, sendo duas na Argentina e duas no Brasil.

No Brasil, o grupo mantém a Arauco do Brasil, com unidades em Piên e em Jaguariaíva (850 mil m³/ano), ambas no Paraná. No município de Araucária, região metropolitana de Curitiba, mantém uma planta química industrial (142 mil toneladas/ano), produzindo resinas e outros produtos, para comercialização e para abastecer suas unidades industriais de painéis no Paraná.
No Mato Grosso do Sul a Arauco já tem a empresa florestal Mahal que tem mais de 60 mil hectares de florestas cultivadas em seis cidades (Aparecida do Taboado, Selv[iria, Água Clara, Chapadão do Sul e Três Lagoas.

Números expressivos

O setor florestal de Mato Grosso do Sul é responsável pela geração de 27,2 mil empregos sendo 14.901 diretos e 12.312 indiretos. Em 2021, o segmento gerou 6.266 empregos a mais em relação a 2020.

O crescimento de postos de trabalho deve continuar nos próximos anos, com os investimentos já em curso no Estado, como o da nova fábrica de celulose da Suzano, em Ribas do Rio Pardo, no valor de R$ 19 bilhões.

Mato Grosso do Sul conta atualmente com três fábricas de celulose instaladas e em operação no município de Três Lagoas: uma da Eldorado Brasil, com capacidade de produção de 1,8 milhão de toneladas de celulose por ano; duas da Suzano, que produzem 3,25 milhões de toneladas por ano. A Suzano iniciou a construção de mais uma fábrica no Estado, em Ribas do Rio Pardo, que será a maior planta industrial de celulose do mundo, produzindo 2,55 milhões toneladas/ano.

O setor conta com 480 estabelecimentos na cadeia produtiva do setor. São empresas de cultivo de floresta, extração de madeira, fabricação de papel, celulose e derivados.
e derivados.

Reinaldo Azambuja assina incentivos fiscais e destaca que novo empreendimento é resultado da segurança jurídica construída em MS

Na última década, as áreas de florestas plantadas com eucalipto e seringueira em Mato Grosso do Sul cresceram a taxas anuais de 14% e 18%, respectivamente. O Estado lidera a expansão florestal brasileira superando 2 milhões de hectares de florestas plantadas (somente de eucalipto, são 1,1 milhão de hectares).

Atualmente, Três lagoas é principal polo industrial do setor, com mais de 400 empresas no distrito industrial. O município tem mais de 10 mil empregos diretos gerados pela indústria.
O município é o primeiro no ranking nacional de florestas plantadas, com 263 mil hectares.

As exportações de celulose somaram neste ano US$ 630,6 milhões, com a venda de 1,8 milhão de toneladas. A celulose foi o segundo produto da pauta com 18,55% de participação, com
aumento em termos de valor de 4,19% em relação ao período de janeiro a maio de 2021. Em termos de volume, houve avanço de 10,01%.

Plano de Florestas

Durante o evento, o secretário de Produção, Jaime Verruck entregou o Plano Estadual de Florestas Plantadas (PROFLORESTA) ao governador Reinaldo Azambuja. O documento visa promover “a inserção competitiva dos negócios que envolvem a cadeia da silvicultura (produtores florestais, celulose e papel, madeireiras, serrarias, móveis e componentes), desde a produção, industrialização, beneficiamento e distribuição, com consequente vinculação com grandes empresas que induzem desenvolvimento tecnológico, inovação e dinamismo econômico a jusante das florestas plantadas”.

Neste sentido, e novo Plano vai orientar a formulação das estratégias e os projetos vinculados aos pequenos negócios, tendo o Sebrae-MS como ente indutor nos alinhamentos, estratégias e abordagens de competitividade nesta direção.

As ações previstas incluem expansão dos plantios, apoio para assegurar ganhos contínuos de produtividade, promoção da diversificação de espécies e do manejo para uso múltiplo, entre outras.

Fonte: Secom Governo de MS

assinatura

Prevendo 2,5 milhões de toneladas de celulose ao ano, Arauco chega a MS

Serão investidos US$ 3 bilhões, o que corresponde a R$ 15 bilhões em planta na cidade de Inocência

Mais uma multinacional do ramo de celulose vai se instalar em Mato Grosso do Sul, desta vez em Inocência, cidade a 339 Km de Campo Grande e a 138 Km ao norte de Três Lagoas, centro dessas indústrias no Estado. Assinatura do acordo entre governo estadual e a Arauco Celulose, que é chilena, acontece esta tarde no Bioparque Pantanal.

Serão investidos US$ 3 bilhões, o que corresponde a R$ 15 bilhões. As obras devem começar no final de 2024, quando a licença ambiental, que ainda deve ser emitida, já terá sido validade para que a empresa se instale.

Auditório lotado – foto Thalita Vieira – Mais Floresta

A Arauco já tem 60 mil hectares de eucalipto plantados em Inocência, mas para alcançar a produção estimada de 2,5 milhões de toneladas de celulose por ano, o grupo já negocia mais 330 mil hectares de área plantada na região. Pelo planejamento, a empresa deve entrar em operação apenas no primeiro trimestre de 2028.

Somente para a primeira fase – obras de implantação e obtenção de florestas – devem ser gerados de 12 mil a 15 mil empregos diretos e indiretos.

Sites nacionais destacam que a unidade de Inocência deve se tornar a mais competitiva do grupo chileno devido a proximidade entre a indústria e a matéria-prima. A empresa vai se instalar à margem esquerda do rio Sucuriú e assim, poderá contar com acesso rápido a canais de escoamento da celulose, incluindo a rodovia MS-377, o rio Paraná, que fica a 100 km de distância e a malha ferroviária, que está a 47 Km.

Fonte: CAMPO GRANDE NEWS

Empresa-desenvolve-prototipo-funcional-de-torres-de-turbinas-eolicas-a-base-de-madeira-laminada-830x450

Empresa desenvolve protótipo funcional de torres para turbinas eólicas à base de madeira “mais forte que aço”

Um protótipo de uma torre de turbina eólica de madeira de 100 metros está sendo fabricado na terra da inovação em madeira, a Suécia, para reduzir a pegada de carbono substancial da fabricação de uma turbina eólica de aço.  

Uma das muitas reclamações que mais se ouve sobre turbinas eólicas dos entusiastas de combustíveis fósseis é que as turbinas têm uma alta pegada de carbono. Na verdade, as análises de ciclo de vida dão às turbinas eólicas uma pegada de carbono média de 11 gramas por quilowatt-hora — 30% da qual vem da torre de aço (o gás natural é de 450 gramas por quilowatt-hora apenas da combustão).

Stora Enso inicia projeto para construção de torres de turbinas eólicas à base de madeira com mais resistência que o próprio aço  

Agora, a Stora Enso, uma das maiores e mais antigas empresas madeireiras do mundo, está trabalhando com a construtora de torres sueca Modvion para construir torres de turbinas eólicas com madeira laminada (LVL). 

Otto Lundman, CEO da Modvion, disse em um comunicado: “Para resolver a crise climática, precisamos de mais energia renovável, bem como maior uso de construções sustentáveis ​​de madeira. Junto com a Stora Enso, podemos facilitar ambos.”  

A madeira pode reduzir as emissões de CO₂ na criação de uma torre eólica em 90%, ao mesmo tempo que armazena o dióxido de carbono absorvido pelas árvores durante o seu crescimento. A madeira selecionada para transformação em LVL é retirada de árvores maduras que já absorveram a maior quantidade razoavelmente alcançável de CO₂ que conseguem.

Madeira laminada possui mais resistência que aço  

A madeira usada para construções avançadas, como torres de turbinas eólicas, pode ser reutilizada em novos produtos à base de madeira, o que proporciona mais benefícios climáticos de longo prazo, continuando a prender o carbono dentro de suas fibras.

A Modivon é uma empresa sueca que constrói torres, e afirma que o material possui três grandes benefícios em comparação ao aço para a construção de torres eólicas.  

“A madeira laminada tem três grandes benefícios em comparação com o aço: a madeira tem uma resistência específica mais alta, permitindo uma construção mais leve. As torres eólicas de aço precisam de reforço extra para suportar seu próprio peso — o que as torres de madeira não precisam. E, finalmente, as torres eólicas de aço modulares exigem um grande número de parafusos que precisam de inspeções regulares, enquanto nossas torres de madeira modulares são unidas com cola.” 

Mesmo utilizando madeira, torres eólicas terão a mesma aparência de uma turbina de aço  

As torres eólicas teriam a mesma aparência de uma turbina de aço, e não um tronco de árvore gigante, devido a uma camada de tinta à prova d’água aplicada. 

No momento, a captura de carbono, realizada quando as árvores são transformadas em LVL, é mais importante do que reduzir as emissões, já que qualquer redução nas emissões hoje não será sentida no ciclo global do carbono por muito mais tempo do que as previsões atuais sobre aquecimento ou temperatura mudanças. É somente removendo ativamente as emissões do ciclo que já existem que a humanidade pode mudar o clima da Terra.  

Modvion cita um relatório da Agência Internacional de Energia, que prevê que o mercado de turbinas eólicas pode chegar a 30.000 por ano para chegar a zero líquido em 2050.

Com um protótipo concluído e a segunda torre a caminho, eles terão que aumentar um pouco para conseguir um pedaço dessa ação, mas isso continua sendo outra grande demonstração de como a madeira projetada pode substituir o aço e reduzir as emissões de carbono.

Fonte: Click Petróleo e Gás

brigada-de-combate-a-incêndio-e-posto-médico

Projeto Cerrado da Suzano agora mais seguro – Boletim nº 11

Brigada de Combate a Incêndio – Entregue e pronta para prevenir

Uma importante estrutura foi entregue e já está em operação na fase de obras da nova fábrica da Suzano em Ribas do Rio Pardo: a Brigada de Combate a Incêndio.

Ela é essencial para garantir a segurança nos espaços em construção, seja prevenindo ou combatendo ocorrências.

A unidade tem cerca de 450 metros², área equivalente a quase três quadras de vôlei somadas. Atualmente, conta com quatro bombeiros civis atuando 24 horas por dia para monitorar as atividades no canteiro de obras, com o auxílio de equipamentos e veículos dedicados aos trabalhos.

Focada principalmente na prevenção, a estrutura entregue foi dimensionada para atender exclusivamente à fase de obras. Quando a fábrica entrar em operação, terá uma Brigada de Combate a  Incêndio ampliada em tamanho e número de profissionais dedicados, equipamentos e veículos, oferecendo todo o suporte necessário às operações industriais da empresa.

Posto Médico para atender até 10 mil trabalhadores das obras

Para cuidar da saúde dos trabalhadores das obras, um Posto Médico totalmente equipado e pronto para prestar atendimentos de todos os níveis de complexidade foi inaugurado ao lado da Brigada de Combate a Incêndio.

Ações preventivas e atendimentos das áreas Clínica e de Saúde Ocupacional, além de Urgência e Emergência, poderão ser realizados em assistência a até 10 mil pessoas, no pico das obras.

O local conta atualmente com 16 profissionais que se revezam dia e noite entre plantões. A equipe é formada por um médico coordenador, enfermeiros(as) do trabalho e técnicos(as) de enfermagem, além de motoristas para as duas ambulâncias disponíveis para atendimento básico e avançado.

Você sabia?

O Posto Médico da obra tem área total de 315 m² e é dividido em salas para consulta, observação, medicação e pronto atendimento, possuindo também leitos e sistema de gases medicinais em cilindros. Os principais recursos disponíveis para uso da equipe de saúde são: bomba de infusão; desfibrilador automático externo; monitor cardioversor e desfibrilador; respirador portátil; esfgnomanômetro; estestocópio; termômetro; oxímetro; glicosimetro; oxigênio; e eletrocardiograma.

Fonte: Suzano

notícia-arauco-na-forbes-min

Fábrica de celulose da Arauco em Inocência-MS será anunciada nesta quarta em Campo Grande

Maior empreendimento de celulose do mundo será instalado na Costa Leste de MS

O maior empreendimento de celulose do mundo que será instalado em Mato Grosso do Sul, vai ser anunciado nesta quarta- feira, 22, pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB). Trata-se de uma indústria de celulose que será instalada no município de Inocência, na região Leste de Mato Grosso do Sul.

Conforme divulgado pelo Jornal do Povo, o investimento será feito pela empresa chilena Arauco, que há anos tenta instalar uma indústria de celulose em Mato Grosso do Sul. O grupo já possui, inclusive, eucaliptos plantados em Inocência, onde será instalada a fábrica.

O anúncio será às 14h no Bioparque Pantanal, em Campo Grande. O prefeito de Inocência, Toninho da Cofap já está na Capital para participar do evento. Devido a contrato de confidencialidade, município e Estado não poderiam dar detalhes do projeto antes do anúncio oficial. 

Embora não tenha sido resolvida a questão de compra de terras brasileiras por estrangeiros, a Arauco pode tranquilamente instalar sua fábrica no Brasil, já que ela comprará o maciço florestal de terceiros.

Se concretizada, esta será a quinta unidade de celulose em MS.

Mato Grosso do Sul conta atualmente com três fábricas de celulose instaladas e em operação no município de Três Lagoas: uma da Eldorado Brasil, com capacidade de produção de 1,8 milhão de toneladas de celulose por ano; duas da Suzano, que produzem 3,25 milhões de toneladas por ano. A Suzano iniciou a construção de mais uma fábrica no Estado, em Ribas do Rio Pardo, que será a maior planta industrial de celulose do mundo, produzindo 2,55 milhões toneladas/ano.

Fonte: Jornal do Povo

+55 67 99227-8719
contato@maisfloresta.com.br

Copyright 2021 Mais Floresta ©  Todos os direitos Reservados