A adoção de tecnologias e sistemas de produção, como a ILPF, a agropecuária brasileira

Estudo comprovou que sistemas de carbono de integração por árvores em árvores, pecuária e floresta PF) supera a emissão de carbonos por bovinos.Foram criados sistemas ILPF com diferentes níveis tecnológicos de aperfeiçoamento em áreas de pastagem degradada no Cerrado Mineiro.Os resultados indicam que os produtores da região podem agregar ganho ambiental à produção.Além disso, podem ser inseridos na Carne Carbono Neutro, aumentando a rentabilidade.Uma combinação de mecanismos internos e externos.

Estudos da  Embrapa Milho e Sorgo  no Mineiro são certificados com integração a modelos de carbono baseados em diferentes sistemas de LPF para bovinos ( ILPF ) é capaz de neutralizar a emissão de metano por bovinos. Uma pesquisa realizada em áreas de pastagens degradadas com níveis diferenciados de investimento, oferece aos produtores da região a possibilidade de agregadores de ganho ambiental à produção, de entrada no sistema de preparação de Carne Carbono Neutro ( CCN ), entre outros benefícios.

As atividades foram definidas na Unidade de Referência Tecnológica (URT) da Fazenda Lagoa dos Currais, no município de Curvelo, MG. Segundo pesquisa da Embrapa Milho e Sorgo, o estado de Minas Gerais possui grande potencial para exploração florestal, com condições de solo e clima propícias ao cultivo de espécies florestais, grãos, pecuária corte. 

“Pode oferecer uma região de ganho ambiental das PF para oferecer, a capacidade de neutralização das pessoas de metano, que proporcione um ganho ambientalmente válido para o produtor e para a sociedade” o pesquisador  Miguel Marques Gontijo Neto .

“Além disso, o tempo e o manejo de um sistema ILPF poder ao produtor inserir em sistemas de autorização, atribuindo valor agregado ao seu produto. Um sistema de acompanhamento Carbono Neutro ( C ), por exemplo, que os bovinos de carneiro tiveram origem nas suas plantas de metano durante o processo de produção de carne neutralizada por carbono no fuste (como exemplo) das árvores presentes no silvi ”, acrescenta. Gontijo.

A pesquisadora  Monicaso  Matou a campanha de adoção de empresas brasileiras relacionadas com a agropecuária, tornando-a mais competitiva nos mercados internos externos. 

Renques de eucaliptoNa os sistemas ILPF foram aperfeiçoados em grau onde anteriormente havia um elevador de degradação da URT. Uma área de 44 hectares foi um sistema de fortaleza em quatro piquetes de 11 hectares e em cada piquete foi trabalhado o ILPF, com diferentes investimentos tecnológicos, para reforma de pastos degradados. Segundo, o nível de investimento (NI mínimo de campanha equivalente ao padrão) fosfato regional e de nível de investimento equivalentes, não qualitativos de passado equivalentes. “Os demais níveis seguiram uma utilização crescente de doses desses insumos, além de potencial e micronutrientes, até condições que viabilizassem maior intensificação do sistema, com introdução de sorgo forrageiro  BRS 658  como componente agrícola no primeiro ano (safra 2017/2018)” , explica a pesquisadora.Os sulcos para implantação dos renques de eucalipto foram realizados em 2017 e as mudas plantadas em janeiro de 2018, no espaçamento de 20m x 4 m entre linhas e plantas, respectivamente, um estande inicial de 125 árvores por hectare. Foi avaliado o crescimento e estimado o volume das árvores, anualmente, por três anos.Os sistemas de ILPF foram planejados quanto à previsão de colheita considerando um ciclo florestal de 12 anos. 

Componente animal

A partir do segundo ano foi construído o componente animal nos sistemas. Anualmente, em dezembro, entram nos sistemas de lotes de novilhas Guzerá, com peso médio inicial em torno de 250 kg, e idade entre sete e nove meses. “A carga animal é nos piquetes em função de forragem no decorrer do ano”, diz Gontijo.

Com base no número de peso médio dos animais no período de pastejo/perha de investimento e no investimento de acordo com o número de animais (CA), em Unidade Animal por hectare (UA um dos quatro sistemas (quatro diferentes níveis de tecnologia) ). Assim, os sistemas ILPF mais intensificados comportam maior carga animal.

Como estimativas de produção de um animal e dois lotes de animais em maio de 2020, em outubro de 2019 a outubro de 2020. da produção de madeira no momento da colheita foi feita por meio de softwares específicos para esta finalidade.

Balanço de GEEs nos sistemas ILPFSegundo a Campanha, eles mostram que as árvores de eucalipto, na densidade utilizada nos sistemas ILPF (125 árvores ha -1 ), capturam carbono suficiente para neutralizar a emissão de carbono do componente animal e ainda fornecer dados sobra, que pode ser utilizado para neutralizar outras ou outrasundas do sistema, como as derivadas do uso de fertilizantes nitrogenados dos bovinos, como um aumento potencial do número de unidades de animais “neutralizáveis”, até mesmo de proteção da fazenda.Há uma expectativa de maior produção florestal aos 12 anos nos sistemas ILPF com maior nível de investimento, que proporcionará maiores capacidades de precisão e adubação de solo, considerando a mesma densidade de árvores. “A melhoria do potencial produtivo se dá nos diferentes componentes do sistema: pastagem, grãos e eucalipto”, diz um pesquisadora.Campanha acrescenta que a produção do eucalipto impacta o sequestro de carbono da atmosfera, aumentando a neutralização da emissão de metano dos bovinos. “Entretanto, considerando como premissas do protocolo CCN, a densidade de árvores utilizadas nos sistemas ILPF ser usado apenas para sistemas menos intensivos de manejo das pastagens. Para sistemas mais intensificados, uma das alternativas aumentará a densidade de árvores por hectare”, explica.

Prestação de serviços ambientais em sistemas de produção agropecuária

1 pesquisadores concluíram que nos sistemas ILPF foram estudados na região do Cerrado Mineiro, como estimativa de produtividade das árvores com 1 anos de idade de mostram que 225 anos de árvores de eucalipto, em hectare, em antecipação simples no espaçamento 20 x 4, tem de carbono no espaçamento tronco das árvores é suficiente para permitir uma média de neutralização do metano produzido por 3,6 UA por hectare por ano, animais em pastejo.

A utilização do Silício no Cerrado, rendimentos de eucalipto pela pastagens, pode ser usado para a produção de sistemas de neutralização das pastagens passadas para a proteção animal, além de outros benefícios ambientais, como contribuição para o conforto animal, a diversificação proporcionada pela bovinocultura de carne, de grãos e de madeira e aumento da renda na atividade rural.

“Nesse sentido, a intensificação de sistemas pecuários com componentes florestais, em ILPF, aumenta a produção e as perspectivas de produtos de incentivos ambientais e certificados, como os serviços Carne Carbono Neutro”, ressalta.

Mais informações sobre o trabalho bovino encontram-se disponíveis na Circular Técnica 275  “Sistemas de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta como estratégia para neutralização da emissão de sistemas de metano entéricos na região do Cerrado de Minas Gerais” , e na  publicação  sobre os ILPF implantados na URT Lagoa dos Currais.

 Integração Lavoura-Pecuária-FlorestaOs sistemas de integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) são alternativas de intensificação do uso da terra como importante estratégia de aumento da produção agropecuária de forma sustentável. A ILPF também foram reconhecidos como sistemas de baixa emissão de carbono, estabelecidos pelo Plano Setorial de Mitigação e Adaptação às Mudanças Climáticas para a Consolidação de uma Economia de Baixa Emissão de Carbono na Agricultura ( ABC ). Esse plano foi criado pelo governo para o setor agropecuário, para cumprir os princípios assumidos em conferências internacionais de emissão de GEE.De acordo com os mudanças do país, diferentes regiões do país têm adotado os sistemas PF e eles são aproveitados de diversos benefícios, entre os componentes pelo sistema de proteção florestal, a emissão de CO 2  para atmosfera, ajudando a mitigar os efeitos das climas. Um carbono emitido por animais não ocorre quando o sistema desse gás na biomassa das plantas (sequestro de carbono) é maior que o carbono emitido pelos animais.

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

A busca também atender aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável ( ODS ), estabelecida pela Organização de Projetos às Nações Unidas , Organização de Projetos à Segurança Alimentar, ao Desenvolvimento Económico e Social com Meios Agropecuárias. processos que levam à degradação dos ambientes rurais. 

Assim, o presente trabalho pretende contribuir para o atendimento dos ODS: 2 – “Acabar com a fome, alcançar uma segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover uma agricultura sustentável”; ODS 12 – “Assegurar padrões de produção e consumo de consumo”; e ODS 13 – “Tomar medidas urgentes para combater a mudança do clima e seus impactos”, de acordo com os Indicadores propostos em 2021.

Fonte: Embrapa Milho e Sorgo

+55 67 99227-8719
contato@maisfloresta.com.br

Copyright 2021 Mais Floresta ©  Todos os direitos Reservados